Translate

06/01/2013

Esperança no Ano Novo



Caros visitantes virtuais,

Não é fácil falar de esperança num Ano Novo que vem sendo pré-anunciado como um ano de severas dificuldades para todos os Portugueses. E, contudo, é nesses momentos que me parece mais importante fazer despertar a esperança que há dentro de um povo, a esperança que há dentro de cada um de nós e nos ajuda a ver mais longe do que a conversa política e da comunicação social.
Entendo que é tempo de celebrar o ano que passou, devemos festejar cada ano que vivemos na nossa vida pois durante um ano muita coisa vivemos e aprendemos. E, se é certo que todos os anos trazem com eles lágrimas, trazem também sorrisos, e esses valem bem a felicidade que nos fazem sentir.
Os momentos difíceis são muitas vezes ocasiões para valorizarmos o que é verdadeiramente importante para a nossa felicidade, para nos centrarmos mais nas pessoas e nas suas relações que no consumo, para nos centrarmos mais e procurarmos conhecer as nossas potencialidades e fazê-las transformar a nossa realidade numa dimensão mais humanizada e, consequentemente, mais genuína, mais criativa e mais rica ainda do que o seria sem esse investimento no que somos de melhor.
Não significa, por isso, que sejamos masoquistas e procuremos os momentos difíceis para neles encontrar alguma mórbida satisfação, significa apenas que é importantes estarmos conscientes que esses momentos queiramos ou não existem e podemos deixar-nos derrotar por eles e viver acabrunhados e frágeis perante as adversidades ou, pelo contrário, podemos encará-los como um desafio e alegrarmos-nos com as dificuldades que vamos conseguindo vencer, ultrapassando-as e, até mesmo, muitas vezes, fazendo delas brotar ideias inovadoras que nos abrem oportunidades que não nos tinha ocorrido explorar.
Assim, caro visitante virtual, neste Novo Ano de 2013 que ainda se encontra a dar os primeiros passos, ponha-se a caminho com a esperança na sua bagagem, descubra os percursos que o fazem mais feliz e que fazem os outros mais felizes à sua volta, evite vias solitárias e sombrias, há sempre um amigo por perto que torna a caminhada da vida mais agradável. E, se não há, está sempre a tempo de se dirigir às múltiplas organizações da sociedade civil, religiosas e laicas, onde pode fazer amigos, construir vida social e ser útil aos outros.
Neste Ano 2013, parta ao encontro de si e da sociedade, construa algo, usufrua a vida e terá certamente momentos felizes que o farão sorrir.
Um abraço virtual,

C.C.