Translate

27/01/2013

A serenidade e plenitude da terceira idade


Caros visitantes virtuais,

Escrevo-vos hoje sobre um tema que muito me enternece... a terceira idade.
Há pouco tempo fui contactada por uma amiga, a quem dedico este post, a Cláudia Malhão, que me convidou a escrever sobre este assunto dado o seu interesse no acompanhamento profissional da qualidade de saúde e de vida condigna dos idosos.
Terminámos no final de dezembro passado a comemoração do Ano Europeu do Envelhecimento Activo e da Solidariedade Entre Gerações que decorreu durante todo o ano de 2012 no âmbito da União Europeia e dos seus Estados-Membros. Tratou-se de uma meritória iniciativa para despertar a Europa e o mundo para a riqueza que representam para nós os idosos e para o reconhecimento e promoção dos seus direitos, a par com o estímulo para o importantíssimo diálogo intergeracional.
Diz-se que os avós são pais duas vezes, diz-se ainda que o seu papel junto dos netos é diferente do que tiveram em relação aos seus filhos, pois tem a compreensão e segurança que só a idade nos permite ter. Sabemos ainda que os avós das nossas sociedades de hoje, como nas de todos os séculos, têm um papel fulcral na educação e no enriquecimento cultural das nossas crianças e jovens, mas também dos próprios adultos.
Com os idosos aprendemos que a esperança é um caminho, pois não há nada na vida que não se supere, ainda que com mais ou menos sofrimento, e as alegrias perduram de forma mais duradoura se as soubermos valorizar e cultivar. 
Os idosos ajudam-nos a ter a noção do tempo que perdura, do que é importante realmente e do que tem uma importância muita relativa e às vezes do que não deve mesmo merecer-nos nenhuma importância.
Os idosos transportam consigo a riqueza de uma vida e de um povo.
Têm a sabedoria que o tempo lhes conferiu e a serenidade que nos contagia positivamente e tranquiliza.
São uma preciosidade que devemos reconhecer, valorizar e acarinhar.
Cuidar bem dos idosos e ajudá-los a manter laços, quebrando a solidão é um direito que lhes assiste e um dever das gerações mais novas.
Ajudemos a sorrir os idosos, em toda a sua dignidade e plenitude.
Caro visitante virtual, esta semana convido-o a reconhecer o valor dos idosos seus familiares, colegas, vizinhos e amigos. Convido-o ainda a aprender e alegrar-se com eles, seja qual for a sua idade e a deles. Sorriam juntos.
Um abraço virtual,

C.C.