Translate

28/10/2016

Palavras de esperança


Caro visitante virtual,
 
Começo hoje a falar-vos a partir de um campo de margaridas na imagem acima evocando um Margarida com quem a minha vida se cruzou breves minutos que me fizeram sorrir e pensar que ainda bem que há gente assim, com coração leve e palavras bonitas que trazem um raio de luz às vidas com quem se cruzam ainda que por breves instantes.
Numa banal deslocação de metro, a horas que nos apinhamos ainda meio estremunhados para dar início ao nosso dia, houve uma troca de palavras que me despertou e que me fez sentir feliz por ter o privilégio de testemunhar a presença e a partilha da bondade, da simplicidade e da simpatia genuínas de uma jovem.
No espaço comum um pedinte cego, como muitos outros, interpelando os passageiros que uns fingem ignorar, outros procuram não ver, outros veem mas não reagem, mas não ela, não esta jovem. Esta jovem afasta-se do seu local, vai em direção ao pedinte que sendo cego não a consegue ver, deposita algum dinheiro na ranhura da caixa e pergunta-lhe:
- Como se chama?
Esta simples pergunta deu uma inesperada alegria ao homem, visivelmente estampada no seu rosto enquanto respondeu à interpelação da jovem.
- Então tive muito gosto em o conhecer e desejo-lhe um bom. dia Senhor... _ Continuou a jovem dirigindo-se-lhe pelo nome que ouvira e que eu não  recordo. Depois disse-lhe ainda:
- Eu chamo-me Margarida.
-Margarida! - Repetiu o cego pedinte, mantendo no rosto a luminosidade que sentia pelo bem-estar que lhe geravam as palavras da jovem. - Lindo nome... O nome da minha mãe...
Foram simples e breves palavras, estas trocadas entre a jovem e o cego pedinte, mas trouxeram luz ao dia de ambos que assim começou brilhante para os dois. Trouxeram luz ao meu dia que as testemunhei e me fizeram sorrir e a muitas outras pessoas que, como eu, presenciaram esta cena e se deliciaram e enterneceram com ela.
Gosto de viver assim, do usufruto sereno da beleza simples que brota do interior do ser humano no que tem de melhor: a atenção aos outros que nos rodeia, a simpatia, a solidariedade, a bondade, a simplicidade. 
Gosto de viver assim, dando valor a esta Margarida que se cruzou na minha vida e na do cego pedinte e os transeuntes do metro e quebrou com a sua atenção ao outro a indiferença do momento.
E gosto ainda mais de acreditar que outras Margaridas há por aí, mulheres e homens, de todas as idades, género, cultura, estrato económico e social e nacionalidade, que com a sua forma de ser e estar trazem brilho, alegria e esperança aos que com eles se cruzam e às suas próprias vidas porque quem vive deste modo saboreia a vida e os instantes.
Convido-o a estar atento a estas Margaridas que o rodeiam e a deixar-se tocar pela magia que trazem ao dia, esteja ele a começar, a continuar ou a terminar. Porque é sempre tempo de nos abrirmos ao que é simples e belo, ao que nos faz felizes e nos convida a sorrir por dentro.
Uma boa semana caro visitante virtual e volte a este blogue se ele o faz sorrir e caminhar para a frente com leveza.
Para espanto meu desde que o iniciei em 2011 este blogue já se aproxima dos 20000 visitantes de todo o mundo. Obrigada por estar por aí, entre estes quase 20000 que se vêm a este blogue "Sopros de Esperança" é porque têm algo a ver com a energia contagiante que a esperança constitui nas nossas vidas se estivermos abertos a ela.
 
C.C.