Translate

22/07/2011

O mundo nos últimos 25 anos


Completei recentemente 25 anos de conclusão da licenciatura em Relações Internacionais frequentada no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade Técnica de Lisboa e que em 1982-1986 funcionava ainda no lindíssimo Palácio Burnay na imagem deste post.
Esta data fez-me reflectir sobre as enormes mudanças que se operaram no mundo desde então, algumas delas já se esboçando, mas outras insondáveis, mesmo para os melhores professores de ciência política, geopolítica e outras áreas especializadas dos assuntos europeus e das relações internacionais. Presto aqui a minha homenagem aos nossos excelentes professores e deixo um grande abraço para todos eles.
Eu e os colegas, queridíssimos amigos a quem aqui deixo um grande abraço, que concluímos o curso nessa data, fomos o primeiro grupo a concluir este curso em Lisboa (havia um na Universidade do Minho criado cerca de 2 anos antes). Quando fomos para o mercado de trabalho os empregadores não faziam ideia do que era o nosso curso. Em Portugal tinha-se, então, um grande desconhecimento em relação às questões da Europa e do mundo.
De facto, Portugal em 1974 tinha saído de uma longa ditadura e só em 1977 lhe foi possível ter condições para solicitar a adesão à Comunidade Económica Europeia, ou mais propriamente Comunidades Europeias, abrangendo também necessariamente a Comunidade Europeia da Energia Atómica e a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço. Mas só em 12 de Junho de 1985 se viria a concretizar a assinatura do Tratado de Adesão tornando-se Portugal o 11º Estado-membro, com efeitos a 1 de Janeiro de 1986. As Comunidades Europeias tiveram a sua evolução para a actual União Europeia que conta já com 27 Estados-membros. Este é só por si um elemento que revela a mudança na geopolítica europeia dos últimos 25 anos.
Marcaram ainda estes 25 anos um momento histórico que certamente permanece na memória de todos, a queda do muro de Berlim, em 9 de Novembro de 1989, depois de 28 anos de existência separando as Alemanha Democrática e a Federal, separando famílias, separando dois mundos que teimavam em não se entender.
A subida de Gorbatchev ao poder na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (ex-URSS) trouxe com ele as políticas de glasnost (transparência) e perestroika (reestruturação económica) que criaram condições para a independência de 15 novos países de leste em 1991 emergindo da dissolução da URSS. Terminava assim a geopolítica de blocos emergente da guerra fria surgida após a segunda guerra mundial.
Mudou muito a geopolítica internacional nestes 25 anos e eu quero destacar as mudanças que se operaram no sentido da aproximação dos povos e na acentuação da consciência de uma aldeia global de que todos somos parte e em que todos temos responsabilidades cívicas e políticas. Só assim, juntos, podemos ir lançando sementes de esperança reforçando liberdades, equidade e respeito dos direitos humanos no mundo.
Um abraço caros visitantes virtuais.
CC