Translate

26/03/2012

Ter fome e ter sede de infinito...



Caros visitantes virtuais,

No passado dia 21 de março celebrou-se o Dia Mundial da Poesia que a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) instituiu em 1999, na sua XXX Assembleia Geral. O meritório objetivo é estimular a leitura, escrita, ensino e publicação da poesia no mundo. E todos sabemos o quanto Portugal e o mundo precisam de poesia nos tempos que correm.
Mais informação sobre esta efeméride em: http://www.un.org/en/events/poetryday/
A poesia é mágica, porque um mesmo poema é sentido por cada pessoa de modo diferente, mas também por cada pessoa de modo diferente consoante o seu estado de alma e mesmo as diferentes fases da sua vida.
A poesia fala para dentro de nós e conta-nos segredos que são nossos e que sem ela não descobriríamos porque nos ajuda a aprofundar o ser, a sensibilidade, o amor, a beleza e a felicidade.
Camões, Pessoa e tantos outros poetas e poetisas de todas as gerações transportaram e continuam a transportar a língua e a cultura portuguesa deixando pegadas de Portugal pelo mundo e pelo tempo.
Florbela Espanca, Natália Correia e Sophia de Mello Breyner, entre outras, deixaram-nos a força das suas palavras arrebatadoras mostrando bem que a sensibilidade, a audácia, e a sublimidade da poesia não têm género, mas sim intensidade e beleza.
A poesia é sublime e imortal.
Partilhar a poesia com alguém é criar laços que deixam marcas.

Deixo-vos com uma poesia de Florbela Espanca que tão bem descreve os poetas: “Ser Poeta”.

"Ser Poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma e sangue e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda gente!

Florbela Espanca, in "Charneca em Flor"


Este poema numa belíssima interpretação de Luís Represas:
www.youtube.com/watch?v=VJaNP_jzHRk

Caro visitante virtual, como dizia o nosso querido poeta António Gedeão: "o sonho comanda a vida/(...) sempre que um homem sonha/o mundo pula e avança/como bola colorida/entre as mãos de uma criança." Não deixe nunca de sonhar… e leia poesia, redescubra os seus poetas favoritos e descubra os que não conhecia. E, porque não?… Descubra o poeta que há em si.

Uma boa semana e um abraço virtual,

C.C.