Translate

01/01/2014

Pequenos grandes momentos da vida

Caros visitantes virtuais,
 
Há já algum tempo que não escrevo no blogue. Não porque me tenha esquecido de vós que o visitam regular ou esporadicamente ou que simplesmente o encontram em pesquisas de palavras de esperança na internet. A vida é complexa e todos temos os nossos momentos.
Eu afastei-me temporariamente porque este blogue é um blogue de esperança, como me comprometi desde que o criei e simplesmente não me ocorriam palavras de esperança para vos transmitir porque a mim própria faltavam.
O corre-corre da vida, os anos a passarem, os filhos a crescerem e nós a começarmos sentir que o nosso valor próprio e o sentido da luta pelos sonhos vai ficando para traz sem que nos demos conta até ao dia em que paramos para refletir e nos assustamos pelo vazio que encontramos. Não porque seja o vazio que lá está, simplesmente deixamos de conseguir ver a riqueza de muitos pequenos  e grandes momentos de que tem sido feita a nossa vida.
Uma tradicional característica minha para além de ter muitos amigos que cultivo ao longo da vida e que vão felizmente sempre aumentando há medida que os anos passam é que muitas vezes nos transportes públicos sou abordada por gente desconhecida, gente só que começa a meter conversa comigo a partir de pequenas trivialidades e acabam a contar-me histórias de vidas difíceis. Talvez porque sou uma boa ouvinte e o meu coração nunca se recusa a acolher quem precisa de ser ouvido. Nessas conversas tenho aprendido que mesmo as vidas mais difíceis encontram sempre um caminho, ainda que estreito para ser percorridas e deixar-se conduzir pela força que emerge da luta de conseguir dias melhores. A esperança reside nessa luta que é de todos e desistir e votar-se a si próprio ao abandono, o que significa desperdiçar a riqueza dos dons que cada um de nós tem.
Um dia destes estava tranquilamente sozinha na Baixa de Lisboa sentada a uma esplanada a fazer uns telefonemas e sem saber como acabei a ser transportada pelo INEM para o hospital. Um desmaio súbito e as suspeitas a afastar de tão inusitado episódio. Foi um grande susto, revelador do quanto vale a pena continuar a lutar em cada dia que cá estamos pelo que é importante na nossa vida, sobretudo família, amigos e tudo o que nos faça feliz e faça felizes os outros.
A esperança, caros amigos virtuais, não brota apenas do que é bonito e positivo nas nossas vidas, brota também, se estivermos abertos a isso de momentos duros e difíceis de atravessar em que a seguir, podemos não ver logo o sol brilhar, mas começar a despontar por entre as nuvens e assim, sabemos que se não chegou hoje ainda, amanhã certamente chegará.
Um ano 2014 cheio de esperança para vós, caros amigos virtuais.
 
C.C.