Translate

01/09/2012

O sorriso das mulheres


Caros visitantes virtuais,
Escrevo hoje sobre o sorriso das mulheres porque o considero belíssimo e fonte de esperança desde que a humanidade se conhece como tal.
Poderia falar-vos também do sorriso dos homens, a que daria idêntico valor, mas não é esse o meu tema hoje. 
O sorriso é sempre um sorriso, seja de homem ou mulher, de bebé, criança, jovem ou idoso. Seja qual for o género, idade, tom da pele,raça, etnia, formato do rosto, cor dos olhos, cor e forma dos cabelos, é sempre algo que brota do interior e traz à superfície o que temos de melhor dentro de nós: a disponibilidade para deixar transparecer para o(s) outro(s), aquele(s) ou aquela(s) a quem sorrimos, a luminosidade e leveza do nosso ser, a singeleza do que somos, a nossa humana fragilidade que é também a nossa força. Assim, considero o sorriso a mais preciosa ponte para a amizade, a fraternidade, a solidariedade, a paz e, naturalmente, o amor. Quem sorri estende uma mão, constrói uma ponte e aperta um laço.
Compreenderão, pois, que considere o sorriso uma das principais fontes de esperança de hoje e de sempre.
Mas se hoje me dedico em especial ao sorriso das mulheres é para me congratular com a iniciativa do Metro do Porto relativamente à sua exposição "ai, Maria", na Estação do Bolhão. Esta exposição abriu emblematicamente no dia 5 de maio (Dia da Língua Portuguesa e da Cultura nos Países Lusófonos" e mantém-se até dia 31 de outubro. Considero esta iniciativa muito feliz, pois embora não vivendo na cidade invicta, fico muito contente por todos os que aí vivem e visitam a cidade, podendo assim usufruir das belíssimas fotografias da autoria de Susana Neves, que, embora não a conhecendo, felicito pela excelente capacidade de ter captado com tanta mestria a beleza do sorriso de 25 das mulheres que vivem ou trabalham no Porto, mulheres de várias raças e etnias, mulheres de diversas idades e condições sociais.  25 Mulheres que representam todas as mulheres do Porto, mas também de Portugal e da língua e cultura portuguesas em diáspora pelo mundo. Mulheres que sendo comuns e não celebridades de capas de revista, tiveram a coragem de aceitar mostrar o seu sorriso, deixá-lo captar e registar pela sensibilidade artística desta fotógrafa portuguesa e autorizar expô-lo aos olhares de todos e todas quantas passam na Estação do Metro do Bolhão ou visitam a mesma na internet.
Aproveito para felicitar todos os autores e intervenientes no Programa Câmara Clara, na RTP2, muito em especial a Paula Moura Pinheiro, que também não conheço, e a todos agradeço a oportunidade de me terem dado a conhecer, através deste Programa de Televisão esta exposição e tantas outras que decorrem no país, bem como livros, música, teatro e um sem número de manifestações culturais que desconheceria se não fosse este importantíssimo papel da televisão pública portuguesa. Assim, é com orgulho que me conto entre os que beneficiam deste tipo de programas e lutam para que a Rádio e Televisão Pública Portuguesas continuem a ter um importantíssimo papel cultural, cívico e democrático, procurando acautelar o respeito pela pluralidade inscrita na Constituição da República Portuguesa. Neste momento, em que os profissionais das Rádio e Televisão Pública Portuguesas vêem a sua missão profissional ser questionada de forma que considero um atentado democrático, deixo com este post a minha solidariedade de cidadã nacional, de espetadora regular e de esperança que as portuguesas e os portugueses não permitirão que Portugal abdique desta missão de soberania estruturante das várias gerações e fundamental à consolidação de valores democráticos que requerem atenção constante. Da necessidade dessa atenção, a história tem dado várias provas, quer a história nacional quer a da Europa e do mundo em geral.
Voltando à exposição "ai, Maria". Esta insere-se no Projeto "Olha lá" que pretende ser, e na minha opinião, consegue ser, um ponto de encontro entre o Centro histórico e as várias culturas lusófonas e da sua diáspora na cidade do Porto. Um trabalho da fotógrafa Susana Neves em articulação com a associação 10 pt - Criação Lusófona.
Não sendo originária do Porto, nem residente nessa belíssima cidade, apaixono-me por ela sempre que a visito. Tenho no Porto grandes amigos e a minha ligação a essa cidade tem uma carga afetiva que está ligada a essas amizades e à magia de uma cidade tão rica de diversidade de gentes e de beleza arquitetónica, paisagística e cultural. 

Associada à exposição dos belíssimos sorrisos naturais das mulheres que vivem ou trabalham no Porto, certamente com vidas tão diferentes entre si, preenchidas de tristezas que aceitaram deixar de parte por um sorriso e de alegrias que aceitaram deixar iluminar o mesmo sorriso, há ainda o "Muro dos Amores". Trata-se de um espaço onde se podem deixar mensagens de amor às Marias das nossas vidas, sejam elas mães, irmãs, amigas ou amantes. Talvez palavras de amor que nunca se ousaram dizer às próprias.
Caros visitantes virtuais, convido-vos a visitar essa belíssima exposição, se puderem, diretamente na Estação do Metro do Bolhão no Porto, ou na internet em: http://www.facebook.com/10pt.aiMaria . Convido-vos ainda a escrever ou dizer palavras de amor às Marias da vossa vida. Elas merecem e precisam dessas palavas, pois todas as palavras de amor que são sentidas e  não são ditas ficam perdidas no vazio. São pérolas que nunca fazem brilhar o sorriso que as aguarda.
Sorria e faça sorrir.

Um abraço virtual.

C.C.